Notícias

Semana de provas também é tempo de servir!

Com mensagens simples sobre saúde mental, grupo de Salvador impacta universidade

"Sua saúde mental vale mais que uma nota", dizia um dos mais de 15 cartazes pendurados pela Faculdade de Direito da Universidade Federal da Bahia (UFBa) durante a semana de provas do último semestre, finalizado em março devido a greves passadas. A campanha foi uma iniciativa do grupo da Aliança Bíblica Universitária (ABU) de Salvador (BA), que tem levantado a pauta da saúde mental na faculdade.

A resposta dos outros estudantes foi acompanhada pelas redes sociais. "Gostaria de parabenizar a excelente iniciativa da ABU", disse um estudante no grupo da faculdade de direito no facebook. "Vocês fizeram meu dia melhor", disse outra em seu perfil pessoal. E a repercussão não parou por aí. Dois meses depois, a estudante da faculdade e líder do núcleo da ABU, Luana Rocha, foi para a reunião do Conselho de Entidades e, ao sair, foi abordada por uma menina. Ela parabenizou e agradeceu pela iniciativa, que disse ter-lhe acalmado durante uma crise de ansiedade.

"Como Deus é bom, né? Às vezes a gente acha que não está dando certo, o grupo não está renovando. Como foi bom ouvir este depoimento dela e muitos outros", comenta Luana, que se sentiu fortalecida a persistir na missão.

Muito além do estudo bíblico

A ação do grupo mostrou que não só de estudos bíblicos vive a ABU, mas há outras formas de servir e alcançar os estudantes das universidades brasileiras, muitas delas mais simples do que se espera. Além disso, a intervenção apontou como mesmo grupos pequenos e com dificuldade podem impactar as escolas e universidades.

"Como eu me converti no colégio, eu quero essa coisa de falar [do evangelho] com os outros como fizeram comigo. Mas nem sempre é assim, nem sempre veremos os frutos ou [eles] serão da maneira pela qual esperamos. Essa ação foi tão simples, não esperava toda essa repercussão e pessoas refletindo através de palavras em um cartaz", compartlha Luana.

No início deste ano, o núcleo da Faculdade de Direito da UFBa estava esvaziado e o trabalho acumulava sobre os ombros da estudante depois que outro líder fez um intercâmbio. "Fui ficando bem triste e sobrecarregada", ela conta. "Eu estava desistido de fazer esta ideia dos cartazes, e na reunião do grupo local compartilhei este desejo e falei: 'Poxa, acho que vou desistir'. Rithiane Almeida, que é a presidente do grupo de Salvador, falou: 'Vamos fazer, eu te ajudo!'"

Com sugestões de frases dadas pelo grupo, Rithiane fez os cartazes e Luana imprimiu e espalhou pela universidade no intervalo da aula. A estudante de direito conta que aprendeu: "É preciso que a gente peça ajuda quando nos sentimos sozinhos".

Protagonismo estudantil faz diferença

Um dos grandes lemas da nossa missão é que o próprio estudante, ao conhecer bem o seu contexto, pode servi-lo e alcançá-lo da melhor forma. Foi exatamente isso que guiou a ideia de Luana: "[A iniciativa refletiu] essa coisa de entender que nós estamos todos no mesmo barco. E a ideia surgiu quando percebi como eu fico estressada na minha semana de prova".

A temática da saúde mental já tinha sido tratada pelo grupo numa palestra. De acordo com Luana, "é uma pauta que a gente tem levado para a universidade, sido referência mesmo sem as pessoas darem crédito. Depois da nossa palestra de saúde mental, apareceram outras pela universidade, sabe?"

A ação inspirou os abeuenses soteropolitanos. O núcleo de medicina da cidade também realizou uma iniciativa semelhante depois, e Luana ainda planeja mais: "Esse semestre vamos colocar outra vez, os calouros têm de ver". Ela também sonha com alguma iniciativa que trate a questão do meio ambiente e da sujeira nos espaços da faculdade. Enquanto isso, o grupo de estudo bíblico do núcleo continua ativo às 10h20, todas terças-feiras, no espaço das artes da FDUFBa (próximo à cantina).

Nenhum Comentário

Comentar

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
CAPTCHA
O teste abaixo serve para verificar se você é um ser humano e para prevenir submissões automáticas de spam.