Uma volta pelo movimento

Visão, vocação e vivência missionária

“Se Deus é o autor da reconciliação e Jesus Cristo é o agente dela, os crentes são os embaixadores da reconciliação consumada na morte de Cristo.” - John Stott, A Bíblia toda o ano todo

Pela secretaria executiva da ABUB

Aqui na Aliança Bíblica Universitária do Brasil (ABUB), "Visão, vocação e vivência missionária no mundo estudantil" será o tema que norteará nossa caminhada neste segundo semestre de 2020. Em tempos de isolamento social em decorrência da pandemia de covid-19 queremos relembrar e reafirmar nossa identidade como movimento missionário. Entendemos que esse tempo de intensas transformações é oportuno para reflexão, preparação e ação missionária.

Hoje, 11 de agosto, é o Dia Nacional do Estudante, e amanhã, 12, será o Dia Internacional da Juventude. São duas datas que celebram a maior parte do nosso público na ABUB. Queremos aproveitar estes dias para compartilhar como esperamos dar continuidade à nossa missão nos próximos meses, seja partilhando conteúdo nacionalmente, seja por meio das ações dos grupos locais e das regiões.

Onde queremos chegar?

Você já saiu de casa sem rumo ou finalidade? E como soube que já tinha chegado ao destino ou resultado esperado? É difícil seguir em frente se não temos um alvo a alcançar ou segurança sobre onde queremos chegar. É assim também na vida em missão. É preciso olhar para o futuro e vislumbrar como queremos estar lá e, a partir daí, trilhar caminhos que nos levem a esse objetivo.

Como cristãos, queremos viver a plenitude do Reino de Deus. Esse é o nosso alvo. Cristo inaugurou a vinda desse Reino. Mas hoje vivemos no período que muitos chamam de “já e ainda não”, em que, apesar de já estarmos vivenciando a graça e a presença de Deus, o Reino ainda não está plenamente estabelecido, quando todas as coisas estarão plenamente reconciliadas com Deus.

Por meio de Jesus, todas as coisas são reconciliadas em Deus. Todas mesmo, inclusive nossa escola, universidade e mercado de trabalho. Mas como participar desse processo? Qual é a nossa função nesse movimento reconciliador de Cristo?

Stott afirma que somos embaixadores da reconciliação. Que importante e digna missão nós temos! E é nosso papel declarar por vida e palavras que é Deus o primeiro motivo de todas as coisas. Assim, caminhamos em busca da plena manifestação do Reino de Deus onde estamos (visão) e fazemos isso em resposta ao chamado de Deus (vocação) que nos convida a agir como ele agiu (vivência).

A ABUB deseja ser parte dessa comissão dada a toda a igreja. Nós temos uma declaração de visão, que fala sobre onde queremos chegar: “Estudantes que formam comunidades de discípulos, transformados pelo evangelho, e que impactem o mundo estudantil, a igreja e a sociedade para a glória de Cristo”. Assim sendo, nosso objetivo enquanto missionários na escola, universidade e mundo profissional é trabalharmos para gerar impacto real nesses lugares que habitamos, por meio do anúncio do Reino e da busca da reconciliação de todas as coisas em Cristo.

Uma vez nascidos de novo, podemos visualizar o Reino de Deus (João 3:3) e, tendo sido reconciliados com ele, somos imediatamente vocacionados para o ministério de reconciliação (2 Coríntios 5:18-19). Nossa vivência missionária, portanto, será a evidência final tanto da vocação quanto da visão que recebemos de Deus (Tito 2:14; Tiago 2:26).

E como esse trio da visão, vocação e vivência missionária é na prática? Entre outras coisas, vamos nos aprofundar nos próximos meses no exemplo de Moisés. Em termos de visão, o líder israelita viu a opressão dos israelitas e viu Deus na sarça. O Senhor, por outro lado, também viu o que acontecia com seu povo e compartilhou essa visão com Moisés ao chamá-lo. Deus, então, vocacionou-o para livrar o seu povo, enviando-o e preparando-o. A partir da visão e da vocação, Moisés pode experimentar uma profunda vivência ao atuar para libertar os israelitas e liderando-os por todo o deserto até passar o bastão para o próximo líder, Josué. Dessa maneira, queremos convidar todo o movimento a, juntos, aprofundarmos na visão missionária, a reconhecermos e meditarmos em nossa vocação e a atuarmos em nossa vivência missionária.

O que acontecerá de agosto a dezembro?

Com a pandemia no primeiro semestre, a nossa missão já começou a se reinventar. Somos gratos a Deus pela realização, entre junho e julho, do primeiro Curso de Formação Missionária da ABUB em formato remoto. Estamos avaliando essa primeira experiência a fim de considerarmos a utilização desse formato em novas ocasiões, inclusive após a pandemia. Enquanto isso, para continuarmos nossa caminhada reconciliadora, decidimos produzir e fornecer conteúdo de formação para nossos estudantes e profissionais entre agosto e dezembro de 2020.

Não se trata de mais um curso, mas de uma formação continuada, mês a mês, com diversos conteúdos que cada pessoa e grupo local poderão usufruir em seu próprio ritmo. Por meio de exposições bíblicas no Pentateuco, aprenderemos sobre a visão, a vocação e a vivência missionária de Moisés. Através dos roteiros devocionais, observaremos as mesmas questões em outras partes da Bíblia. Além disso, teremos também indicações de leitura, depoimentos, entrevistas e outras postagens. Nas redes sociais, você encontrará os posts do tema com a hashtag #VisãoVocaçãoVivência.

Os obreiros regionais estarão atentos e auxiliando nossos grupos locais nesse processo de aprendizado conjunto. Com essa iniciativa esperamos colaborar para que cada grupo local de ABU, ABS e ABP reflita e, principalmente, encontre formas de colocar em prática a visão, vocação e vivência missionária que recebeu de Deus. Que o próprio Deus que nos conduza nesse caminho de formação e prática missionária!