Uma volta pelo movimento

Tá tudo dominado! Ou seria, renovado?

 “Ele nos fez conhecer o mistério da sua vontade, a livre decisão que havia tomado outrora de levar a história à sua plenitude, reunindo o universo inteiro, tanto as coisas celestes como as terrestres, sob uma só Cabeça, Cristo.” 
Efésios 1:9,10; Edição Pastoral (EP)

    “Muitas pessoas têm rejeitado o evangelho não por entenderem que ele é falso, mas por considerarem sua mensagem trivial. Elas estão à procura de uma visão de mundo integrada, que faça sentido à sua experiência de vida.”
John Stott

No final de junho, precisamente entre os dias 23 e 26, estudantes, profissionais e obreiros do movimento estiveram reunidos em Campinas para o já tradicional “Encontro de Corpus Christi” (ECC). Neste ano tivemos como tema central “Novas todas as coisas”, e as reflexões principais tiveram como alicerce a epístola do apóstolo Paulo aos cristãos efésios.

Talvez seja interessante recordar que nos dias que antecederam o ECC, todos os obreiros do movimento se encontraram para um momento especial – nosso “Curso de Obreiros”. Uma novidade formidável nesta edição do “curso” foi a presença de nossos mais novinhos “abe(bê)uenses”: Leonardo, filhinho da Manu (nossa obreira no Sul) e do Marcelo; e Benjamin, filhinho do Phil (nosso obreiro em SP/MS) e da Carol. Foi uma festa!

Achei bom mencionar esses dois momentos, pois acredito que a “toada” foi uma só: Deus realmente está renovando todas as coisas em nossas vidas! E fazendo tudo (tudo mesmo)

Tentamos deixar isso “perceptível” em toda a programação. Além das exposições bíblicas, reflexões envolvendo nossas prioridades estratégicas e fóruns temáticos sobre nosso envolvimento no mundo estudantil e na sociedade, forneceram elementos “norteadores” para aprofundar nossa percepção de que todas as áreas de nossa “única vida” estão sujeitas à ação transformadora que Deus está promovendo, em Cristo, através do Espírito Santo, “que é a garantia da nossa herança, enquanto esperamos a completa libertação do povo que Deus adquiriu para o louvor da sua glória” (Ef 1:14, EP).

Com relação às prioridades estratégicas, pensamos em como nossa comunicação do Evangelho, nosso esforço de "formação" e nossa busca por apoio econômico sustentável podem e devem ser, ao mesmo tempo, sinais e reflexos desta “renovação” processual e abrangente. Em outras palavras, como nossa presença na escola e na universidade, nossas instâncias de formação baseadas no “encontro” (com Deus e sua palavra; com companheiros de caminhada; com uma visão missionária integral; e com a realidade ao nosso redor), e nossa postura em relação aos bens e dinheiro, revelam que “todas as coisas estão se fazendo novas” e que essa realidade está disponível para todas as pessoas com as quais nos relacionamos diariamente.

Esse aspecto da “abrangência” também pôde ser trabalhado melhor nos fóruns, em forma de mesas de diálogo. Ao tratarmos do nosso envolvimento com o mundo estudantil, ouvimos e fomos desafiados com experiências de “vida nova” nas áreas de política estudantil local, docência e apoio a estudantes internacionais. E com relação à sociedade em geral, as experiências foram pautadas pelas possibilidades de envolvimento com políticas públicas de juventude, com pesquisa científica e com intervenção em contextos de carência e pobreza.             

Algo fundamental que marcou e perpassou toda a programação foi a oração. Oramos para demonstrar e declarar nossa dependência de Deus. E isso é bastante propício, pois essa “cosmovisão” renovada e renovadora não pode ser “auto gestada” por nós mesmos. É ação da graça de Deus. Paulo, sabedor disso, em vários pontos de sua carta expressa sua oração pelos efésios.   

E é com uma dessas orações, aplicando-a a todos nós, que eu gostaria de encerrar esse compartilhar:
“Que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai a quem pertence a glória, lhes dê um espírito de sabedoria que lhes revele Deus, e faça que vocês o conheçam profundamente. (…) e compreendam o grandioso poder com que ele age em favor de nós que acreditamos, conforme a sua força poderosa e eficaz” (Ef 1:17-19).

Que assim seja em nossas vidas e na ABUB!

Um fraterno abraço.
Reinaldo Percinoto Junior
Secretário Geral da ABUB