Intercessor

Peçam ao Senhor da colheita

“A colheita é grande, mas os trabalhadores são poucos. Portanto, peçam ao Senhor da colheita que mande trabalhadores para a sua colheita. Vão! Eu os estou enviando como cordeiros entre lobos.” - Lucas 10:2‭-‬3 (NVI)

De acordo com o Censo da Educação Superior (MEC e Inep), em 2016 quase 3 milhões de alunos ingressaram em cursos de educação superior de graduação, 82,3% deles em instituições privadas – locais onde atuam as Alianças Bíblicas Universitárias (ABU's). Já o Censo Escolar da Educação Básica (MEC e Inep) apontou que havia 7,9 milhões de matriculados no ensino médio em 2017 – área de ação das Alianças Bíblicas de Secundaristas (ABS's). É muita gente a ser alcançada pelo trabalho missionário estudantil.

Na Aliança Bíblica Universitária do Brasil (ABUB) temos em média 300 núcleos, ou seja, a cada semana, 300 grupos se reúnem e abrem a Bíblia para estudá-la em suas escolas, universidades e entre profissionais. Muitos realizam atividades criativas de alcance, mas ainda é um número muito pequeno perto do desafio da colheita.

Ore pelo chamado missionário dos estudantes

Nós acreditamos que se Deus colocou você onde você está, ele quer que você seja sal e luz neste contexto. Assim, os estudantes cristãos são chamados para serem missionários, para alcançar seus colegas e levá-los a Cristo. Neste mês de setembro de 2018, vamos publicar o nosso informativo Entre Nós com várias histórias de como a ABUB alcança vidas e temas, como nos engajamos com a universidade e como nos preocupamos com a vida dos estudantes (fique de olho). Mas sabemos que esse deve ser um motivo de oração constante: que mais estudantes sintam-se chamados à missão estudantil e atuem para transformar esse meio. Há muitos cristãos inertes nas escolas e universidades, ore para que Deus mova esses estudantes!

Interceda por novas lideranças firmadas em Cristo

Como o ciclo do ensino médio e da universidade costuma ser curto, nossos grupos de estudantes possuem uma rotatividade alta. Quando os participantes estão formados, exercendo uma liderança centrada em Jesus, logo passam pela formatura e deixam aquele contexto. Por isso sempre é importante que mais estudantes se levantem para cuidar das ABS’s e ABU’s, participem de eventos de formação e amadureçam na fé. Precisamos orar constantemente para que estes abessenses e abeuenses não tenham medo, mas confiem e depositem sua força em Deus, o Senhor da missão, e assumam a liderança de seus grupos. Interceda conosco por isso!

Ore por boas transições de liderança

Em reportagem publicada no site da ABUB no início deste ano de 2018, citou-se a ABU Seropédica (RJ), um grupo historicamente forte. Esdras de Souza, um dos líderes de 2015 a 2017, contou que há uma preocupação em passar o bastão enquanto os responsáveis ainda têm tempo na universidade para continuar acompanhando os novos líderes.

"O acompanhamento com os novos coordenadores foi essencial e de muito aprendizado até mesmo para nós”, ele disse. "Acredito que quando uma transição é bem feita, existe uma continuidade do trabalho. Existe uma base maior para que o grupo não só permaneça, como também amadureça e cresça".

Nossa secretária de formação, Nilsa de Oliveira, foi desse mesmo grupo local nos anos 2000 e contou para a próxima edição do Entre Nós que a coletividade era uma marca: “Todo mundo tinha uma participação, então a gente meio que aprendia as coisas. Quando entrei na diretoria do grupo, as meninas que saíram ficaram um pouquinho [...]. Quando não sabíamos o que fazer, tínhamos pra quem perguntar, mesmo com o pessoal que já tinha formado, como o Josimar.”

Já Josimar Gonçalves dos Santos, citado por Nilsa, contou que a preocupação das gerações anteriores não cessa quando termina a transição, mas perdura por anos. Ele, que participou nos anos 90, citou uma amiga sua, Jaqueline, que se converteu através de abeuenses e sempre que podia visitava o grupo. Ele mesmo já retornou e também mobilizou antigos abeuenses da universidade a ajudarem na reforma da sala do grupo.

A ABU Seropédica nos ensina muito sobre o cuidado com este momento da transição tão comum na missão estudantil – e poderemos ler mais sobre eles no Entre Nós. O grupo nos inspira a orar para que os líderes planejem estas mudanças, para que os formandos continuem acompanhando o grupo com amor e cuidado pela missão e que todos juntos depositemo processo aos pés da cruz.

Ore pela reestruturação de grupos

Não é só a transição de liderança que pode desestabilizar um grupo local, mas diversos aspectos, como desânimo, foco errado e dificuldades pessoais podem influenciar. Para que a missão no mundo estudantil cresça, no entanto, é preciso que os grupos aprendam a buscar ajuda (na equipe regional e nos grupos vizinhos) e a se reerguerem. Em tudo isso, confiar que Deus guiará o grupo e fará sua vontade prevalecer é essencial, especialmente para aceitar quando um grupo termina mesmo. Ore para que Deus cuide dos grupos que têm enfrentado dificuldades. Interceda ao nosso Deus para que ajude os participantes a manterem o foco missionário e levante outros grupos, obreiros, assessores auxiliares e lideranças das igrejas da cidade para ajudarem a reestruturar os grupos que precisam.

Interceda para que esses estudantes missionários, os líderes dos grupos e os grupos sejam sal e luz para evangelizar onde estiverem

Toda essa estrutura pela qual oramos (estudantes chamados a serem missionários, lideranças firmadas, transições tranquilas, reestruturação de grupos) é para que Deus use a missão estudantil para alcançar outros dentro da universidade, em todos os 300 núcleos que temos em mais de 100 cidades. Ore para que o grupo cumpra seus objetivos sem se desviarem, evangelizando e servindo a escola, a universidade e todo seu contexto. Que o Senhor da colheita guie cada um no trabalho nos campos que ele nos colocou!