Blog da ABUB

7/11 | Reflexão #GenerosidadeABUB: Eu, você e o que é nosso

Semana da Generosidade: Entre os dias 7 e 13 de novembro de 2019 realizamos esta campanha para meditarmos sobre a generosidade bíblica e crescer enquanto indivíduos e um movimento missionário generosos. Em recursos, compartilhamos um material que os grupos podem aplicar ao longo dessa semana. Aqui no blog e nas redes sociais, haverá um texto diferente para cada dia. Acompanhe! Seja generoso!

Por Gabriela Gil, da ABU Uberlândia (MG)

“Todos os que criam estavam juntos e unidos e repartiam uns com os outros o que tinham. Vendiam as suas propriedades e outras coisas e dividiam o dinheiro com todos, de acordo com a necessidade de cada um. Todos os dias, unidos, se reuniam no pátio do Templo. E nas suas casas partiam o pão e participavam das refeições com alegria e humildade. Louvavam a Deus por tudo e contavam com a simpatia do povo. E cada dia o Senhor juntava ao grupo as pessoas que iam sendo salvas.” - Atos 2:44-47 (NTLH)

O trecho acima resume as práticas da igreja em Jerusalém, mostrando um padrão de comunidade e fidelidade a ser seguido pelos cristãos. As pessoas, em sua maioria de origem humilde, abriam mão de suprir somente suas necessidades individuais para viver uma vida na qual tinham tudo em comum. Cresciam enquanto igreja quando cresciam na preocupação e no envolvimento com as necessidades dos irmãos.

Além do fortalecimento das relações, o exercício da generosidade traz o sentimento de pertencimento para quem tem a oportunidade de contribuir. Em Lucas 8:1-3, vemos como Jesus foi auxiliado financeiramente por mulheres que haviam sido acolhidas e curadas por ele. Elas o acompanhavam e o sustentavam, fazendo parte de seu ministério. Um vínculo de amor e responsabilidade se forma entre os indivíduos que exercem e apoiam a missão dada por Deus. A generosidade gera entrega mútua (2 Coríntios 8:5).

Ainda em Atos 2, percebemos que os líderes da igreja contavam com a simpatia daquele povo. A identificação e conexão entre as pessoas que doam e que recebem gera a credibilidade necessária para que o trabalho missionário seja realizado. Além disso, há alegria e gratidão em ambos os lados: perceber a provisão do Pai nos leva a atos de louvor, assim como reconhecer a dádiva de ter o suficiente para contribuir.

O sentimento de generosidade e abnegação era gerado pelo compromisso que os cristãos de Jerusalém assumiam uns com os outros e, ao mesmo tempo, influenciava a forma com que eles enxergavam o próximo e conviviam entre si. Assim como na igreja primitiva, que nos nossos relacionamentos atuais possamos viver a generosidade como um ciclo: à medida que nos conectamos a outras pessoas, doemos a nós mesmo (de diferentes formas), fortalecendo assim nossos laços ao compartilharmos nossas vidas e bens.

Nenhum Comentário

Comentar

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
CAPTCHA
O teste abaixo serve para verificar se você é um ser humano e para prevenir submissões automáticas de spam.